MEU ENTARDECER…

Há coisas que fazemos e outras que simplesmente acontecem.

Muitas pessoas carregam consigo a idéia de que as coisas feitas repentinamente são as que dão certo de verdade. Em outras palavras, o que é planejado tem grande chance de dar errado. Discordo. E até acho que chega a ser misticismo. Particularmente, gosto e sempre costumo estar no controle da situação. Em tudo que faço, procuro ter o tempo a meu favor. Faço previsões e até planos de emergência, o que me leva a crer que nunca improviso. Assim sou chamado de perfeccionista. Mas não me vejo como um. Não dá certo em todas vezes.

Hoje, o dia de trabalho foi exatamente como havia previsto enquanto tomava banho às seis e meia da manhã. Nada de anormal e mais tranqüilo que o comum. À tarde fui a um hospital para doar sangue a um senhor o qual tenho muita estima. Na oportunidade, visitei-o. Ele ficou admirado ao meu ver em seu quarto. Estava acompanhado de sua esposa e ficamos ali conversando por mais de uma hora.

Quando fui me despedir, dei-lhe um abraço e desejei boa sorte. Ele me agradeceu e disse que estava com saudades, pois não me via há um bom tempo. Naquele momento percebi quanto apreço aquele bom senhor tem por mim. Bem mais do que eu imaginava. Fiquei feliz a ponto não saber descrever aqui o que senti. E nessa possibilidade, eu não pensei.

No caminho de casa, resolvi fazer o que já há algum tempo tinha vontade e não sei porque sempre adiava. Fui até a casa de uma senhora, mãe de uma ex-namorada, a qual não visitava desde que o relacionamento chegou ao fim, cerca de seis anos. Desde então, meu contato se limitava a telefonemas esporádicos e promessas de visitas.

A rua continua como deixei, a casa também. Ela, a ex, não mora mais lá. Se casou. Coisa que já sabia. Foi incrível como meu coração disparou ao tocar a campainha. A senhora, a qual não mudou nada, não me reconheceu no primeiro momento, mas abriu um belo sorriso após o meu “boa tarde”. Me abraçou, me convidou para entrar e tomar um café. Conversamos bastante, por quase duas horas, as quais não vi passar. Me fez um bem que não esperava, e que também não imaginei que fosse possível.

 No momento de me despedir, ela me disse que a sua filha trabalhava em uma loja ali perto. Claro, pensei em ir até lá para dizer um “oi” bem rápido, só para registrar. Pensei em não ir, e também em “por que não?”. Fui. Passei de frente ao estabelecimento como um transeunte e a vi pela vitrine. Hesitei. Ela me viu e me chamou. Parecia bem mais surpresa que eu.

Era loira e agora está com os cabelos pretos, mais curtos e mais lisos. Tão linda como da primeira vez que a vi naquela noite de festa. Ela disse que sentia minha falta, que guarda minhas cartas, o livro que dei de presente. Que havia me procurado em todos os lugares. E pela terceira vez na mesma tarde, eu não sabia o que fazer. Fomos até a rua e ela me pediu um abraço. Sua voz estava trêmula e seus olhos rasos, quase transbordando. E eu que só queria dar um “oi” comecei a pensar porque não deixei a preguiça de lado e fiz a barba antes de sair de casa, porque não estava com uma roupa melhor e onde estavam minhas meias palavras. Não havia resposta, porque estas coisas simplesmente acontecem e nunca e possível prever.

Me despedi enfim, e vim pra casa sem inventar mais nada. Já estava demais para um só dia. E agora, aqui, pensando, vejo o quanto é bom ouvir com todos as silabas um “senti sua falta”, “tive saudades”, “eu te amo”… E o melhor, é poder olhar nos olhos dessas pessoas e ter a certeza de que isso é verdadeiro.

_________________________________________________________________

Embalado pela melodia de “Time after time”, na voz da bela Claire Danes.

Tema do excelente filme “Ao Entardecer”.

(dos mesmos produtores de As Horas)

____________________________________________________________________________________

Anúncios

7 comentários sobre “MEU ENTARDECER…

  1. Jean,

    Quem fica de olhos marejados com este texto sou eu…

    E como é bom ouvir as palavras de carinho, quando a gente sabe que vem do coração!!!!

    Bom natal para você e um ano cheio de realizações e muita invenção!

    beijocas!!!!

    flor.

  2. Você é uma boa pessoa, Jean. Solidário, principalmente. Poucos tem essa virtude (sim, é uma virtude ser honesto, caridoso, verdadeiro…), nunca despreze essa qualidade que você tem.
    Eu também visito a família de um ex. (essas coincidencias nunca param, já viu?) Na verdade só o pai dele, que foi meu professor de Literatura Inglesa. O filho também não mora por aqui, está no exterior estudando.
    Esse deve ter sido um dia ótimo para você.

    P.S.: Se quer roubar aquela frase (“Nunca se condene por amar alguém, mesmo que longe.”) é porque está tendo o mesmo sentimento? Passando pelo mesmo problema?(problema?!)
    Eu nao sei… Na maioria das vezes acho que a melhor coisa a se fazer é esquecer, apagar isso da cabeça, entende? No fundo eu ainda penso que seja uma loucura ou uma grande bobagem amar (amar?) alguem que está longe de nós. Parece incerto, errado. E por motivos óbvios talvez nem desse certo…

    Beijos, feliz Natal.

  3. me emocionei e fiquei arrepiada com as três situações pelas quais vc passou!
    Vc é uma pessoa rara! Vc é especial! Eu já pressentia isso pelos textos anteriores, agora tive certeza!
    Felicidades pra vc!
    Feliz natal…
    Bjs

  4. Jeannn… voltei!
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkk…
    Voltei na melhor hora. Esse foi o texto mais lindo que já li seu. O mais lindo dos lindos!
    =D
    Ai Jean, confesso a vc… eu prefiro o imprevisível… não porque os meus planos não dão certo, pelo contrário. Mas é que quando eu me plaejo, eu sei extamante o que está por vir.
    E ASSIM… DE BOA, EU NÃO QUERO SABER DO QUE AINDA NÃO FIZ! Eu gosto de me surpreender, sempre. Mesmo que isso me prejudique. Num sei o que é, mas é mais ou menos assim!
    Rssrsrsrsrs
    Saudades desse lugar e de vc!
    Um cheiro!

  5. jean, que bom ler esse seu texto… me senti bem. é bom dar atenção aos amigos, tenho feito isso durante essa semana em curitiba, e como é bom ver nos olhos das pessoas que somos queridos, esse é o grande presente. pena que a vida é praticamente feita de trabalho, isso tem que mudar. é preciso priorizar as relações também. querido, um feliz natal, um bom ano. bjos

  6. Olá…
    algumas pequenas coisas fazerm diferenças na nossa vida..
    o que vc escreveu no seu post é umas dessas…
    e acredito que não são coisas planejadas

    Beijos
    ^^

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s